Preparación a la muerte!

 O domingo amanheceu bem frio, tipicamente um dia de inverno, mas talvez nem perto dos dias patagônicos. Como sempre despertei antes da hora e esperei o horário combinado para sair com outra corredora do grupo da praia. O solzinho amenizava a sensação desconfortável de frio, mas eu corri os 10min antes da prova tentando sentir meus já insensíveis dedos dos pés, somente pensando, como será nas estradas chilenas essa minha circulação e sensação ruim. Atrasaram em aproximadamente 20min a largada da RÚSTICA DE ANIVERSÁRIO DA CIDADE DE PELOTAS, uma prova gratuita e solidária, doamos duas caixas de leite como inscrição. Com isso, meu aquecimento foi para o espaço e eu estava animada demais para deixar de conversar com os tantos amigos e conhecidos para concentrar em um bom início de prova. Com isso, larguei em um ritmo, de novo, diferente do meu, cansando logo em seguida e ainda sentindo um cansaço, talvez do dia anterior, talvez da meia nova, talvez do não aquecimento, eu não sei. Mesmo assim, completei os 5km em 29' e em 11° lugar na minha categoria, mas com aquela sensação de não ter dado todo o gás, de não ter rendido muito, mas muito feliz com o tempo. 
Quando cheguei em casa, tratei de, além de vibrar com minha medalha e participação em mais uma corrida, elaborar mentalmente uma retrospectiva e listar os aprendizados e objetivos a serem elaborados para eu conseguir chegar nas minhas DUAS próximas corridas difíceis sem o perigo de não conseguir completá-las bem e dando o meu máximo. 
Então:
CORRIDA 1: Arroio do Meio, Trail Run, 16km.
Objetivo: Completar a prova.
Preocupações: Eu nunca corri 16km. Terreno acidentado. 
Estratégias: Intensificar reforço muscular nos treinos regenerativos e nas práticas diárias de yoga, e completar os 16km nos treinos de domingo. 
Pontos positivos: Eu sei que, no meu devagar e sempre, eu consigo os 16 pois já fiz perto disso sem dificuldade. Sei que se nessas semanas antecedentes manter a disciplina e minha mente na hora estiver total entregue para a tarefa, chego lá.

CORRIDA 2: PATAGONIAN INTERNATIONAL MARATHON, Torres del Paine, Chile, 10km.
Objetivo: Completar a prova com um tempo bom.
Preocupações: O clima da região, frio, vento, o cansaço e a alimentação da viagem, roupas inadequadas e terreno bem acidentado.
Estratégias: Estou pesquisando sobre roupas, equipamentos e hidratação, já que nesta prova não há pontos de hidratação, nem resgate, nem nada, você está por conta em terreno bem inóspito, entre gelos e fiordes. 
Pontos positivos: Conto com minha experiência neste tipo de local, mas sei que a corrida é bem diferente. Também estou contando com a quilometragem de 10km que para mim já é mais tranquila se estiver treinando como estou agora. E também minha expectativa para esta prova é curtir o lugar, a corrida, as pessoas, mas claro, sempre queremos sair bem.

Mas, indiscutivelmente, meu domingo estava pleno, feliz, cheio de entusiasmo e motivação. Sensação de saúde, de dever cumprido, além de conhecer muitas pessoas legais, estar em um ambiente positivo e que, literalmente, transpira bem estar. Me senti bem com as meias novas, compradas para esta preparação para o Chile e, apesar de não ter corrido muito, vibrei com meu 11° lugar. Corrida é isso, é superação, mas também auto conhecimento. Me senti muito dispersa, desconcentrada na respiração e total desconectada dos meus objetivos, estava cansada da semana e estava ali para curtir e descansar, mas ao final, me cobrei mais resultados, faz parte, um aprendizado bom e divertido.

Vez ou outra vejo minhas fotos de escalada e vejo ser um caminho parecido. Eu lia todas as revistas, gostava de fazer parte de um grupo, viajava para escalar o tempo todo, e, mesmo nunca escalando super bem, minha vida está marcada para sempre por todos os amigos maravilhosos das montanhas, por tantas paisagens inesquecíveis e por tanta história entremeada por magnésio, cortes nos dedos, aventuras, acampamentos, força, equilíbrio, energia. Eu sempre escalarei, pra vida toda, sempre serei escaladora. Com a bicicleta, com os barcos, a mesma coisa. Flui em mim a vontade de estar viva, sempre. Que a corrida me proporcione este néctar, da bem aventurança, do pulsar, da vida na voltagem máxima, com energia, amor, amigos e SAÚDE!




Início da corrida

O final sempre é sofrido mas imensamente feliz

Vida!!!!!

Comentários

Postagens mais visitadas