ME VOY AL CHILE!!!! Diário de Preparação 10km

O dia que pararmos de sonhar, não mais existimos, portanto meu próximo passo é 
CORRER NA PATAGÔNIA CHILENA.

A exatos 10 anos atrás eu me aventurava pela patagônia argentina, trabalhando no canal de Beagle, escalando em Chaltén, perambulando por Calafate e Ushuaia, e hoje me preparo para a realização de vários sonhos: voltar a patagônia, correr uma maratona internacional e viajar para o Chile.

Irei tentar dividir o passo a passo da viagem até o grande dia, preparação, que não imagino como será, ansiedade, passagens, dicas, hotéis, agências, tudo. 
.Comecei a correr, como contei por aqui, já vislumbrando grandes objetivos, eu sempre a viver assim, com intensidade. Estive enferma esses últimos dias, mas não hesitei ao ver o pacote de viagem da @turismosobmedida e pensei: não posso perder.
A PATAGONIAN INTERNACIONAL MARATHON é uma corrida de paisagens esplêndidas no Parque Torres del Paine, situado a 150km de Puerto Natales, bem ao sul do Chile. Eu sequer posso imaginar qual será minha emoção de correr entre fiordes, montanhas, guanacos e o azul e verde inconfundível patagônico.
Comprei nossa passagem saindo de Montevideo, até Santiago, Punta Arenas para então seguir de ônibus da agência até Puerto Natales. Esta opção do Uruguai para nós do extremo sul é o ideal, bem melhor do que sair de Porto Alegre. Optei também por uma agência especializada em viagens esportivas, pois sairia o mesmo preço de hospedagem, alimentação e transporte por conta, então resolvi adiantar e sair daqui com segurança.

Meu físico não está dos melhores, pois como eu disse estive bem doente e minha rotina de treinamento sofreu uma parada, bem como os temporais e chuvas de início de inverno daqui. Mesmo com a academia do lado, o frio intenso e a gripe me castigaram semana passada. Mas este final de semana já tenho uma prova de 5km, pretendo portanto incrementar minha motivação a partir disso. Vinte e dois de julho outra prova, dessa vez 16km em terreno bem semelhante ao que encontrarei no Chile, com a diferença de temperatura não ser nesse caso negativa, mero detalhe. O percurso que escolhi para Torres del Paine foi o menor: 10km. Primeiro porque era o mais barato. Segundo porque tenho pouco tempo para me preparar. Terceiro porque, apesar de sonhar correr meu primeiro 21km em um lugar como Chile, preciso ser realista, não corro ainda essa quilometragem, e lá terei muitas condições adversas: vento, frio de menos zero grau, terreno mega acidentado, muita, muita subida e o cansaço da viagem.

Minha alimentação não vai mudar, não tenho essa ilusão. Mas para a prova pretendo levar água e géis de carbohidrato por causa das subidas, já que não terá postos de hidratação nem de controle. Para estes dois meses pretendo diminuir o doce sim e me alimentar direitinho, já não bebo álcool nem fumo, durmo cedo, pratico yoga todos os dias, e correndo quatro vezes por semana acho que estarei preparada. Mas estou consciente que o correto seria ir numa nutri, pedir orientação, ajuda, socorro. Meu nó górdio é o prato, sei disso. Odeio cozinhar e não tenho disciplina para não exagerar. Mas essa meta eu posso me colocar também não é?

Foto feita na Cross Country Barro Duro, Pelotas, RS.

Me desejem sorte e conto com vocês para dicas e torcida. Bons ventos a todos e boas corridas!

Comentários

Postagens mais visitadas