As Sementes de Mostarda

Eu li um livro certa feita, "As Sementes de Mostarda"onde dentre outras coisas, se discutia  a sensibilidade de se ouvir e apreciar  música clássica e a espiritualidade. Osho dizia que deveríamos treinar nossa mente assim como se treina o ouvido, para se então perceber a beleza, sutileza e maravilha de uma música clássica. Muitas pessoas não conseguem parar e simplesmente ouvir, se deixar tocar e se deixar emocionar. Aos primeiros acordes ou peças já se convencem da complexidade ou mesmice ou tristeza de uma música clássica. Se entediam, se remexem na cadeira, precisam de algo instantâneo, arrebatador. Mas a música, assim como a espiritualidade, ou meditação, ou encontro com você mesmo, se dá de maneira profunda, sutil, linda. Uma vez esse encontro, não se é mais a mesma pessoa. Cada contorno, ou cada som, cada experiência, será vivenciado de outra maneira. Mas é preciso disposição, sensibilidade, entrega e compromisso. Compromisso com o bem viver, com o aventurar-se, com o novo, com outra camada de consciência. É como o cume de uma montanha, chegando lá, nunca se é mais a mesma pessoa. E como explicar para os "normais" como é chegar lá? O esforço, o preparo, o treino, as horas escalando, ou analogicamente, as horas de meditação? É impossível explicar, e mesmo improdutivo. Há que se experienciar.
Boas escaladas, lindos cumes, maravilhosas experiências, meditem e se emocionem a cada linda música ouvida. Namaskar
Foto: Cume Ana Chata, São Bento de Sapucai, SP. Serra da Mantiqueira, exatamente à um ano atrás.

Comentários

Postagens mais visitadas