Dancing with myself


All men’s miseries derive from not being able to sit in a quiet room alone.Blaise Pascal

Para ler, clique aqui: TEXTO ZEN HABITS
Mais uma semana, mais um mês de correrias. Dizem que o ano começa só passado o carnaval, mas meu ano começou já com uma ansiedade até meio difícil de controlar. Muitos projetos e ideias, muitas perspectivas e muitas mudanças também, e claro gerando um desequilíbrio, um tentar acalmar interno constante. 
Por isso em boa hora, arrumei tudo outra vez em uma malinha e mochila e, estrada outra vez. Caxias do Sul me esperava para meus estudos em Yoga, mas tudo muito imprevisível, caronas, encontros, comemorações inesperadas, tudo permeado por amizades incríveis, amorosas e pra toda vida. Começando, eu consegui carona atrás de carona pra chegar até a casa da minha amiga, em uma verdadeira peregrinação. Mas aquela coisa boa, de dar tudo certo, de encontrar com tuas amigas, janta, conversa de mulher e saudade já mesmo antes de ir embora. Muitos estudos e práticas no decorrer dos dias, e caminhadas, e bagunça e mais práticas e mais caronas. Quer coisa melhor ir assim, todo mundo junto, conversando, comendo na estrada na sombra de uma árvore e tendo companhia a viagem inteira? Chegando em Porto Alegre, uma visita pra um mate se transforma em uma comemoração. Meu whatsapp apitando avisa: passei em Engenharia Ambiental na UFRGS. E lá vou eu, com minhas amizades eternas e preciosas mudando meus caminhos e meus dias, meu amigo Gil, bixo, e uma Cidade Baixa inteira pra nós. Alguns desencontros e outros encontros depois, durmo exausta com todas as cores e variações de uma Porto muito Alegre.

Aqui, na minha casa minha irmã, Márcia, dedicada e mãe de todos, cuidando da minha filhota canina, e eu no caminho já penso, coisa boa família, estar perto, colo e cuidados, coisa boa estar junto e contar com ajuda assim, tão pertinho. Aí já lembro da minha mãe, que até hoje me dá adeusinho da janela do ônibus, a cada viagem, e como podem ver, não são poucas os dias viajando, não são poucos os até logo cheios de amor de mãe, tem coisa melhor?

Mas voltando eu me deparo com um texto maravilhoso e muito inspirador. Horas e horas de conversa com os amigos morrendo de rir em Porto Alegre e o mesmo tema na tela do meu computador: como lidamos com nós mesmos? Com estarmos sozinhos? Como lidamos com nossas necessidades de estarmos sempre preenchidos? O amigo do meu amigo, e eu, logo eu, dando conselhos pra ele, super entendida do tema...eu?
A verdade é que estamos sempre busca de companhia, amizades, amores. Vemos a solidão, o estar só, como algo sombrio, assustador. O medo de tomar decisões, o medo de não ter ajuda, e também a atitude de contemplar a própria vida e as próprias escolhas, o deparar-se com a própria amizade e companhia, ouvir sua própria voz e pensamento. Buscamos redes sociais, amigos, família, o tempo todo. Esquecemos de ter nossa suficiência, independência e alegrias, a sós. É maravilhoso compartir. Mas precisamos ter nossos momentos de gerir a própria vida, de conhecer nossos valores e vontades, de nos gostarmos intensamente, para com isso, aí sim, aproveitarmos de uma maneira mais plena tudo ao nosso redor. 

Com esse contraponto, três dias cheios de amigos e amigas, me sento sozinha em um ônibus semi vazio para Rio Grande cedo da manhã, com um livro no mínimo sugestivo em punhos, da autora Cheryl Strayed, chamado LIVRE. E, dessa forma, livre e sozinha, sorrio pensando da alegria da minha companhia, preenchida com minhas vivências e histórias, medos, alegrias, frustrações, anseios, e divido todas essas divagações comigo mesma, certa do conforto de estar bem acompanhada.


Caminhada no mato, Farroupilha, RS, chez Jaque

...desde pequena eu sou assim, metida com cavalos, eu gosto do jeito deles e eles do meu

Monique em seu primeiro contato, vencendo seus medos




BAGUNÇA BOA DEMAIS!!!!!

Adeus, sol!!!

...e não cansaram de praticar por hoje, não? 

Ma-is ba-gun-ça

Macaquinha

Virando o mundo de cabeça pra baixo

Aquietar a mente...

...e tranquilizar a alma

Viva!!Jantinha da Jaque!!!!Cheff Jaque, c'est magnifique!!!

Picnic indiano?

Parabéns, Gil. Muitas e muitas comemorações por aí viveremos. Um Bom Fim nos aguarda pra tudo. Pois tudo, tudo, sempre é e tem a força pra ser o que é. E Po(r)nto.

Comentários

Careli disse…
Inspirador!

Postagens mais visitadas