A Cultura da (Im)Permanência

O conceito de utilidade e cooperação e de prover as necessidades das pessoas dentro dos limites ecológicos requer uma revolução cultural. O cuidado com a terra (solos, florestas e água), o cuidado com as pessoas (de si mesmo, parentes e comunidade) e partilha justa (estabelecer limites para o consumo são os princípios básicos da Permacultura, fundada por Bill Mollinson e e Holgrem na década de 70 e estabelecida em 1985. Há algum tempo venho observando essas mudanças de paradigmas e ideias tão substanciais e importantes através de amigos e conhecidos estudiosos do assunto. Minha prima Mônica, antiga escaladora e agora permacultura em tempo integral em Brasília da Rede Permear, há muito se dedica ao tema e assim como despertou em mim a escalada, acendeu em mim a pequena chama da curiosidade sobre a infinita gama de possibilidades de se viver melhor e de forma mais harmônica, em equilíbrio com nossas necessidades e com o que devemos contribuir com o mundo. Laimis Zmuida e sua namorada, um simpático casal da Lituânia que conheci uma vez viajando também contribuíram de forma enorme para minha curiosidade, me mostrando livros e sites e estando em contato através das redes sociais com novidades. Minha amiga Priscila, minha colega de trabalho, sempre me conta novidades do sítio Amoreza e de seu caminhar como futura permacultura. Confesso que toda mudança de hábitos para mim sempre foi lenta e no princípio me parecia estranho e excessivo alguns conceitos e cuidados. Mas quase dez anos depois vejo a necessidade de crescer um pouco mais, de mudar um pouco minha realidade ao redor, de tentar aprender novos conceitos. Mais ainda desperto nas vezes que vou para minha chácara, quase fronteira com o Uruguay, em Santa Vitória do Palmar, RS. Aquele pedaço de terra me tranquiliza e acalma e me dá uma energia imensa para querer mudar as coisas ao redor, aprender, colocar em prática algumas ideias, criar.  Mesmo com muita informação disponível sinto que ainda tenho um longo tempo de reflexão e aprendizado e que as coisas podem demorar um pouco sim a acontecer mas enquanto isso vou curtindo essa incerteza e esses finais de semana cheios de sol, alegria, família, casa e mate.  Comer os biscoitos da Tia Zenir, estar com os cavalos, andar pelo mato...Quem sabe com tudo isso não aprendo a ser menos consumista e mais sustentável? 

O João de Barro e sua construção novinha em folha
Meu cavalo Pasha já nos esperando como se tivesse me visto ontem. Esse árabe tem  uns 20 anos  e sempre consigo chegar pertinho dele, sem rédeas nem cordas, mesmo ele estando assim solto e livre há anos.
 Uma verdadeira história de amor.


Meu amor e eu e os cuscos

O João de barro saiu bem na hora da foto. Foto: Duda

Caminhadinha logo de manhã cedo

Companheiros de caminhada e café da manhã

O quero-quero (Vanellus chilensis)

Ver soluções e não problemas é um dos princípios que regem a Permacultura

Observar a natureza, cooperar ao invés de competir, pensar a longo prazo, usar espécies nativas, ensinar e aprender..
Conseguimos acordar bem cedinho e tomamos esse café da manhã bem gostoso na beira do açude
...e ainda deu pra dar uma boa caminhadinha com os nossos amigos


Um lindo amanhecer com lua....não tem como não iniciar um dia com um sorriso e disposição enorme!

...mais uma do amanhecer...e esses feixes azuis de luz, o que poderiam ser?

Muito bonita :-)

Duda filmando nosso amanhecer..
Media lunas uruguayas de café da manhã...hummmm :D
Com dulce de membrillo! Muito gostosas!



E quem nunca brincou de perna de pau???
Uma boa semana pra todos! 

Quem tem interesse de assim como eu aprender um pouco sobre PERMACULTURA deve iniciar buscando informações sobre o tema, como as que você encontra aqui e aqui.ou procurar os Cursos de Design em Permacultura, os conhecidos PDCs, que é o curso básico de formação de um permacultor.
Sites e contatos:
Vida sustentável/Mônica Carapeços Arriada

Comentários

Postagens mais visitadas