Carnavalito


Minas do Camaquã é sempre aquele lugar em que me sinto realmente em casa, completamente livre de problemas e preocupações, com a mente totalmente em repouso e protegida, é bem difícil explicar. Me dei conta disso quando sentei de frente para o Morro da Cruz quando chegamos, montamos acampamento ainda de dia, abri uma cadeira, um filtro de sonhos e linha na mão,um livro, um entardecer iluminado nas minhas costas, eu virei para o Duda e perguntei se tinha algum lugar que ele sentia essa paz inexplicável, essa alegria tranquila. Ele disse que não sabia e eu segui com minhas divagações...
A viagem de carnaval seria em partes. A primeira passaríamos para visitar Seu Álvaro e Dona Dalila em Minas do Camaquã para contar do noivado, já que ali tinha sido aonde tudo começou, e a segunda escalaríamos em Caçapava. Bem difícil escolher qual foi a melhor parte.
Em Minas encontramos os amigos, cozinhamos na volta do fogo, tomamos banho de rio e repetimos a linda via Feliz Páscoa!!! Ela é uma via de 120m, um E3,(3 IV E3) muito bonito e especial. Eu guiei a primeira enfiada e o Duda a segunda e completamos ela rapidinho.
Em Caçapava conseguimos conhecer um lugar impressionante. A Pedra da Lua é um setor novo, incrível, de vias novinhas em folha. Algumas de nono e décimo grau, e uns aprazíveis sextos e sétimos e até uma via pequeninha de quarto. Eu me senti feliz realmente foi com a beleza do lugar, mas me divertiria mais se estivesse em um dia melhor ou estivesse escalando mais. Um dia anterior tomei uma vaca forte e minha sapatilha rasgou e eu me assustei bastante. As expectativas de escalar a muerte foram por água abaixo, e eu tive que aprender várias coisas.
Primeiro é que:  a esperança gera expectativa o que gera medo e frustração. Medo de não se conseguir o que se espera, esperar demais e com isso não aproveitar o agora. Simplesmente relaxar e curtir o que o momento tem pra te oferecer pode ser a melhor escolha.
E segundo é que não podemos conseguir o que não tentamos com esforço. Ao não conseguir uma via, me perguntaram: mas você treinou pra isso? Quanto tempo tem se dedicado para sua evolução, para seus objetivos? A partir de agora, além de projetos, preciso pensar em esforço. Para os frutos, pensar, planejar, cuidar da semente. Pode ser que dê certo. 
Mas mais do que tudo, descansar e relaxar foi a ordem desses meus dias. O carnaval mais tranquilo e esperado de todos os tempos.
Muito feliz eu fiquei também de acompanhar uma série de cadenas e um montão de vias que o Duda foi mandando uma a uma. Primeiro a linda linha 'O tempo não pára', um 7a longo e duríssimo e SETE vias na Pedra da Lua que não temos o croqui, mas que algumas pareciam bem difíceis, além das que já fazemos sempre. Muy bien, chico!!!

Parte I
Mais uma viagenzinha...

Um pontinho na imensidão azul do rio.Eu Feliz Páscoa outra vez no Carnaval (3 IVE3 120m)

Minas do Camaquã
...eu indo de segundo
...quase chegando
presente de chegada :-)

...descanso merecido, um homem e seu cachorro

Urso. 

...pedras no caminho...
Um entardecer desses, ah, queria pra mim todo dia...
Gustavo me ajudando a buscar lenha com seu 'reboque' de bicicleta. 
tão iguais...
Parte II CAÇAPAVA DO SUL

Pedra do Leão

...começando os trabalhos




...
...aquela parada para olhar em volta

...eu no último lance da 'silêncio dos inocentes' vendo a movimentação




...adoro essa parte dos totens
..e sempre escolho a pedra com carinho :-)
...acampamento baixado!

Naoki na Maktub (8b)

Jean Fluber na (?) Rabo de Arraia (9a)
...volta pro acamps no final de tarde



Duda na 'O tempo não pára' (7a)

...aqui no início da 'O tempo não pára'

... vida de gado (pessoal indo pra pedra do leão, vista da trilha para a pedra da lua)


A trilha para a Pedra da Lua é bem marcada mas é mais garantido perguntar ao Seu Manoel, (Camping Galpão de Pedra) já que foi ele, junto com o Omar e os outros conquistadores que foram abrindo as picadas no mato e deixando algumas dicas

O totem e a fita de escalada indicam quando tem que dobrar a direita depois de descer o morro e seguir o rio. Não tem erro.

As vias negativas são impressionantes e o acesso se dá por essa caverna




Meu mini totem!!!!

As cavernas parecem ser imensos ninhos de aves de rapina ou águias, que levam suas pequenas presas lá pra cima.  O que sobra é esse tapete de ossos e alguns desses caindo na cabeça e na base das vias. Natureza sinistra.

Duda entrando na caverna dos ossos


...manos destrozadas!

Duda em uma das muitas belas linhas do lugar. 

Sem dúvida um lugar para se ir mais vezes 
... a base das vias sempre na sombra, trilha fácil, paz, silêncio e tranquilidade e motivação a tope! 



Uma boa semana a todos, cheio de energia para nossos projetos e sempre com essa tranquilidade boa interior que temos que cultivar tanto para que as coisas dêem certo, que se estenda dos feriados para os nossos dias

;-) Dale!

Comentários

Vanessa Staldoni disse…
Que linda viagem, amiga! Desculpe não ter te encontrado nessa, mas realmente as prioridades agora são outras na minha vida (cuidar da minha saúde e estudar). Estás cada dia mais linda e iluminada. Que felicidade contagiante! Parabéns! Beijos! saudades imensas!

Postagens mais visitadas