Torres, RS

E as águas de março já vinham fechando o verão, com frio, vento e água, muita água. 
Mesmo com a previsão de chuva apontando nos principais sites metereológicos, minha intuição dizia que seria um final de semana de escalada pela vontade enorme de escalar que eu tinha depois de um final de semana em Pelotas.
Saímos de Porto Alegre na sexta à noite com pingos insistentes pela free way. Para Duda e eu, com certeza já valeriam os amigos, o vinho e as conversas  mas conhecer um novo local de escalada e ainda no Rio Grande do Sul, me animava muito. 
Torres é a praia mais catarina do RS, com basaltos aflorando e formando paredões rochosos lindos, bem ao estilo dos costões da ilha de Florianópolis. São 28 vias catalogadas com vias protegidas do sol, mas nem sempre protegidas da água na ressaca, mas igualmente belas (para visualizar o croqui clique aqui).
Com a manhã ensolarada de sábado que abriu corremos para a praia para escalar. A parede já estava na sombra, mas de qualquer maneira já não estava tão quente no sol. Entramos em algumas vias, uma em móvel e eu pude aproveitar o basalto diferente e tentar um lance de bonita movimentação em uma via de sétimo grau, de força e técnica. Não insistimos naquele primeiro setor porque queríamos escalar na Guarita. Fomos até lá e o mar cobria tudo. Caminhamos pela praia, fizemos alguns boulders bonitos e eu tive a vontade enorme de voltar para acampar ao lado daquele setor maravilhoso para ficar desfrutando por dias a enorme possibilidade de escalada do lugar. Gostinho de quero mais.
A noite ainda aproveitamos pizza, vinho, sinuca, namorar na varanda na praia e na manhã ensolarada de domingo uma rodada de pôquer me fez refletir sobre arriscar. Não se trata de mentir, enganar, como no jogo esse de cartas. Mas de blefar com a vida, de se permitir ir no que nem sempre é certo às vezes e sem medo de perder, sem calcular os riscos, as perdas e os danos. É rir depois e não se importar, sem se esforçar ao máximo para aprender e fazer tudo direito, é gostar mesmo quando não dá certo, é não se preocupar em ganhar sempre. Nem sempre é fácil, somos treinados para tentar sempre a perfeição, a vitória, o cume, a cadena. Mas rir de si mesmo e se permitir faz bem também. Erramos, somos humanos não perfeitos, nós e os outros, e iremos aceitar isso, um dia, quem sabe. Boa semana, suerte.

Arriscar-se é perder o pé por algum tempo.
Não se arriscar é perder a vida.
Sören Kierkegaard (1813-1855)
Filósofo dinamarquês, foi um dos fundadores da filosofia existencialista
 
...brinquedos coloridos do duda...que venham muitas incursões por esse mundo

...e há movimentos em que nos descobrimos, nos testamos, nos orgulhamos e nos divertimos muito (Via: Maldição Brasília 7b).


"O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar, o amor é grande e cabe nesta janela sobre o mar"

...eu e duda nos boulders cerca do mar

Foto: Ana Paula Barlette
..porque é sempre muito lindo ver o mar
...assim como é bom ver os outros se divertindo em bonitos movimentos

...mais uma do duda, essas não em Torres, mas em Pelotas, uma semana antes
E que todos possamos ter uma semana de descobertas, de paz e tranquilidade. Que possamos relevar o que não é importante e finalmente, que possamos rir de nós mesmos e dos outros. Com leveza e felicidade. Buena onda a todos. Boa semana


Comentários

Postagens mais visitadas