O que passou


Num dos finais de semana de março, conseguimos, apesar do calor, escalar por algumas horas, ao lado de uma cachoeira, claro. As vias de escalada da Parede Deberovski no município de Sapiranga, RS, são recentes e têm como conquistadores o José Pedro Assis, o Richard Marques e o Moises Oliveira. De um basalto gentil e um pouco sujo, mas nada agressivo, aranhas marrons perigosas convidam a desfrutar as vias fortes de sexto e sétimo grau. Me parece haver um enorme potencial de conquista em pequenas fendas, diedros e também grandes agarras e tudo irá depender da disposição de limpeza dos conquistadores para com certeza ser mais um local forte de escalada do Rio Grande do Sul. Uma grande piscina com uma queda dágua gelada nos refrescou naquele dia de 36°C a sombra, mas o que me impressionou é com o descaso e a falta de educação da própria comunidade. Garrafas plásticas, latas e lixo boiando mostram o quanto somos egoístas e até ignorantes, incapazes de desfrutar um lugar sem modificar, interferir, esgotar.
E dentro dessa mentalidade de tentar evoluir dentro de nossa realidade tão difícil, recentemente fiz um curso de Alimentação Consciente. Trata-se de uma iniciativa bem interessante de uma profunda conhecedora do assunto, Carla Ioost, que nos ensina como se alimentar, e não somente comer: corpo, alma e espírito. Saber direitinho do que vamos nos alimentar, tentando ter o máximo de respeito e consciência pelos demais é o que tenta a filosofia vegana, de alimentação em comunhão com a natureza, minimizando o sofrimento de outros seres. Nesse curso pude aprender a substituir leite, ovos e qualquer produto de origem animal por linhaça, água, condimentos e especiariais, farinha, legumes e frutas. Uma lasanha de beringela, um suco verde e deliciosos bolinhos de chocolate foram parte do cardápio.
Também pude aprender um pouco sobre os elementos da natureza e a necessidade que temos de estarmos conectados a essas forças que tanto nos motivam e que tanta tranquilidade e felicidade nos trazem. Então, no primeiro dia de lua cheia, numa quinta feira, fui com minhas amigas e com o grupo de meditação, para o que seria uma saudação a Lua, na Praia do Laranjal, em Pelotas, RS. É uma cerimônia muito bonita, e eu pretendo aprender um pouquinho sobre ela mais adiante, mas o que importava para mim naquela hora era aquele pequeno tempo de despreendimento, de sossego e de paz interior que deveríamos nos propor todo dia. Pude aproveitar também um mate e conversas com as gurias na beira da lagoa, o que foi muito bom também.
As escaladas estão mais frequentes, talvez com um pouco mais de comprometimento, mais desconhecidas e por isso mais belas. Sempre acreditei que o que deveria importar mais em uma atividade que não o trabalho, seria a diversão. Mas um artigo interessante me fez mudar de ideia, recentemente. Ele fala do quanto pode ser gratificante e por consequência o quanto pode ser vitorioso realizar uma atividade com sofrimento e difícil. Mesmo que durante a atividade não se encontre diversão, a felicidade de se completar algo que queremos muito traz uma felicidade imensa e duradoura, diferente da efemeridade de qualquer outra prática divertida.  Portanto, começo a pensar em puxar mais os meus limites, me submetendo a novos desafios e até ao medo, com o objetivo de sair da zona de conforto de uma vez por todas e sentir essa gratificação citada. Quem sabe a diversão não fica maior ainda?

...aceito doações de cadarços novos e alguém para colocá-los

Duda na que parece ser a Via d'iskina (conferir aqui)


E tem coisa melhor?

Goiaba do pé.

Sol e sombra e, o lugar é bem bonito mesmo. Há a opção de acampar pertinho do setor de escalada ou alugar cabanas, com uma estrutura bem legal. Maiores informações:Camping Deberoviski (local no google map aqui)
Celebrando I

Celebrando II (e aprendendo)

Celebrando III
E depois disso foi retomar, finalmente, o ano na praia. Enquanto muitos passam o verão na areia e no sol, eu migro da cidade para a beira do mar assim que o outono começa a dar o ar de sua graça. Uma pena não aproveitar a maravilha de verão que foi o nosso, mas feliz da vida em me deliciar no sol  com slackline, surf, cachorros, passeios, balanço da rede e tudo o que preciso para ser feliz, muito feliz.

..concentração, respiração, exercício e um belo divertimento

...espiando pelo que restou do Navio Altair, naufragado em 1976, na Praia do Cassino, RS

Uma forte tempestade levou o navio a se tornar hoje um atrativo para turistas, gaivotas, pernaltas e diferente fauna marinha

E da janela lateral...Foto:Duda


Os ventos que sopram nessa época são impressionantes. Minha funboard é bem grande e pesada e simplesmente não se mexia, colada em mim pelo vento. Carregá-la contra o vento é que foi bem difícil e cansativo.

Quando não tem montanhas, vamos para o mar.
E termino recomendando uma ótima leitura para reflexão para a semana. Quem nunca parou para pensar nos encalços da vida e se esqueceu de aproveitar o momento presente? Quem nunca se deixou abater por pedras soltas, deixando de aproveitar a escalada, e o cume? Que ótima analogia do meu amigo Dubois (LEIA AQUI). Boa semana, suerte!

Comentários

Postagens mais visitadas