Let the little things go

Quem é você?
O que sente, o que é mais importante na sua vida ou o quanto você se importa com o que os outros vão pensar de você?
Você faz as coisas de uma maneira que o agrade, que deixe você a mais feliz das pessoas, ou faz pensando em atender expectativas alheias? Você vive sua vida com esforço, lutando ou simplesmente deixa as coisas boas fluirem?
Meus dias e anos são eternos aprendizados. Costumo ser crítica e sempre busco o melhor, em mim e nos outros. Mas alguns momentos de sofrimento têm me trazido uma importante reflexão: deixar fluir. A vida passa enquanto estamos preocupados e ocupados tentando fazer o melhor. E o mais importante: a evolução das pessoas a sua volta nada tem a ver com você. Deixar que elas cometam erros, inclusive com você, é um grande desafio, que dói inclusive, mas que com certeza torna a vida mais leve.
 Não por acaso esses dias tenho passado com amigos muito queridos, uns vindo de longe, outros de perto, momentos de escalada, de mate, de conversas, de mesa de bar, de lugares novos, de vias diferentes e de pontos de vista mais diferente ainda. De novo reaprendendo a escalar, relembrando os movimentos depois de alguns meses, aceitando limitações e vibrando com as conquistas. Sem internet e guardando todos esses pequenos grandes momentos só pra mim. 
...e esse ano têm sido muito especial.
Os desafios impostos têm sido superados, um a um, e tudo têm se tornado melhor, muito melhor, com grandes conquistas, pessoais, profissionais e até mesmo na escalada. Estudos, trabalho, dinheiro, viagem, amigos, família, tudo. Voltando a escalar, mais uma vez, vejo o quanto é bom persistirmos naquilo que amamos. O quanto é desafiador e gratificante. Mesmo dentro de suas limitações de tempo, fazendo as coisas do seu jeito, do seu único e especial jeito, tendo dificuldade para umas coisas, facilidade para outras, você sente uma alegria que é só sua, e que só você sabe o que é sentir isso. E por isso mesmo, você precisa às vezes, não dividí-la com ninguém...  

Desafios?
...ter foco e alegria no que estou fazendo no momento.
...ser mais e ter menos (having less is lighter)
...deixar as pessoas ser o que são e não deixar que elas esperem nada de você
...ficar feliz com mudanças pequenas e graduais.Vibrar com as vitórias sem ficar pensando já no próximo passo. Eu fico feliz de estar no doutorado, de estar conseguindo estudar para as provas difíceis, de ainda estar escalando com 30 anos, de fazer viagens de bicicleta e de mais um monte de coisa que me orgulho. O resto virá (make small, gradual changes)
...ter foco no que realmente importa. foco em você, no que você pensa e sente, e uma coisa de cada vez na vida (Learn to focus on the things that matter)
...fazer coisas importantes, se propor a melhorar, evoluir, na maneira de pensar, agir, se desafiar
...ter compaixão. Essa é a mais difícil às vezes. Entender que cada um tem seu tempo de evolução, deixar os outros pra lá no bom sentido, tentando ver o outro lado de cada um, sem mágoa, sem rancor, e, de acordo com meu amigo, só desta forma conseguimos evoluir
...Let the little things go
 na escalada e na vida, se deixarmos nossos sentimentos e movimentos fluírem, tenho a impressão que chegamos lá. Se nosso coração e mente estiverem sintonizados e abertos para tudo que é de bom, as coisas acontecem.

Esses são meus desafios pessoais pra agora. O ano ainda não acabou, mas já tenho como objetivo um viver cada vez melhor.
Esse mês que passou escalei bastante, com novos e antigos parceiros de escalada. Vou viajar para um lugar que sempre quis conhecer e com certeza trarei na bagagem, além de equipos novos, um sorriso no rosto e uma vontade imensa de fazer e viver mais e mais. Que a semana seja boa para todos.





Para ler mais: zenhabits

Comentários

Postagens mais visitadas