Final de Semana em Santa Vitória

No final de semana passado, ainda com bastante frio aqui pelo sul, fomos para Curral Alto, Santa Vitória do Palmar, RS. Curral Alto é o terceiro distrito da cidade de Santa Vitória, fica cerca de 100km da Reserva Ecológica do Taim e muito perto tambem do Uruguay, distando somente 100km do Chuy.Em 1777, portugueses e espanhóis celebraram o tratado de Santo Ildefonso, aonde estes trocavam a colônia de sacramento pelas missões. Entre estes dois territórios ficou uma "faixa" sem dono. Esta zona seria aonde hoje está o município de Santa Vitória (do Taim ao município do Chui) e naquela época foi chamado de Campos Neutrais, fazendo analogia a campos neutros, ou seja, nao pertencentes nem a espanhóis nem a portugueses. O que só veio a mudar no tratado de tordesilhas. Por este motivo e pela extrema proximidade com o Uruguay que nesta época concentravam-se muitos criminosos na região.

O nome da cidade "Santa Vitória do Palmar" deriva de grande quantidade de palmeiras de butiá que havia na área, provavelmente semeadas por aves migratórias, que se abrigavam nos banhados junto à Lagoa Mirim. Ainda se encontram alguns palmares, mas foram na maioria devastados pelas plantações de arroz, que se intensificaram na região a partir da década de 1960, com mecanização intensiva. A área em território uruguaio, contígua à Lagoa Mirim, ainda apresenta palmares bem preservados.
A Lagoa Mirim é a maior lagoa do Estado do Rio Grande do Sul. A anteriormente considerada nesta condição era a Lagoa dos Patos, que hoje se sabe tratar-se de uma laguna. A Lagoa Mirim é palco de intensa atividade pesqueira e apresenta preciosas paisagens e um belíssimo por-do-sol.

Meu bisavô vindo do Uruguay já habitava essas terras, recebendo um colégio hoje em dia em seu nome, o Bernardo Arriada, na Vila Anselmi. Nos arredores, reconheço a casa de diversos tios, parentes e primos. E foi por lá que passei muitas férias e aonde vou até hoje sempre quando dá.

para enfrentar o minuano somente o fogo...

ou uma manta quentinha...

também um vinho artesanal de São Gabriel!

as duas  castellhanas

"De alma, campo e silêncio..."

"...beira de um fogo que acalma, triste cambona que chora"



"para contrariar a quietude..."

"a alma ficou assim, tisna de campo e de mato"


"Fundo de campo, voz de banhado, passa um tajã
                                              Se estende o pago até meus olhos cruzarem o rio
                                                Parece até que a tardezita se espichou longe
                                               Que o horizonte se encolheu todo, tá por um fio"


"A calma do tarumã, ganhou sombra mais copada
                                            Pela várzea espichada com o sol da tarde caindo
                                              Um pañuelo maragato se abriu no horizonte
                                      Trazendo um novo reponte, prá um fim-de-tarde bem lindo"

"simplicidade nas coisas que me fazem mais feliz"

"Cevou um mate pura-folha, jujado de maçanilha" (a la Don Hernandez)

"Têm coisas que tem seu valor
                                                        Avaliado em quilates, em cifras e fins
                                                                E outras não têm o apreço
                                                   Nem pagam o preço que valem pra mim..."
                                      
"Gateados pêlo de sol"

Pasha, meu cavalo árabe cachorro, ainda judiado do inverno



Uma boa semana ensolarada a todos!

Comentários

Eliza disse…
que coisa mais linda a moa enrolada na manta... Bons ventos minuanos moça!!
Miriam Chaudon disse…
Oi Alessandra ! Você ficou quase perto de mim.Moro em Santana do Livramento.
Quando der vontade aparece! Já que gostas do frio...eu não gosto não!!!
Aqui tem frio pra pinguim !!!
Muito bom seu blog.Vez ou outra eu leio ele.
Abraço !
Anônimo disse…
Amigaaaa, e estes cabelos? Que lindo! Tas muito bonita, talvez seja o amor! eheheheh...
beijos, Beta

Postagens mais visitadas