Ano Novo no Uruguay

E esse ano vai ser tudo de bom.
Que nunca nos falte amigos para sempre e viagens. E férias, muitas férias.



Saímos de Pelotas dia 28 de dezembro, mais ou menos cedo, Ju, Marcio e Lu vindo de Floripa e Curitiba vieram matar a minha saudade pra passarmos a virada do ano no Parque Nacional Fortaleza de Santa Teresa no Uruguay. O Parque fica a poucos quilômetros do Chuy e é destino de muitos uruguaios e brasileiros (muitos) em feriados e finais de semana com suas praias belíssimas, visual de palmeiras e casas com telhado de santa fé. Minhas memórias de parrillas naquelas mesas de pedra com a minha família vieram toda hora na minha cabecinha saudosa.



Depois de rodarmos alguns quilômetros de reta, paramos rapidamente na minha casa, na fazenda, pra pegarmos o que faltava, panelas, cadeira e rede (acamps cinco estrelas), respirar um pouco e seguir até o Chuy para abastecer e comer pollo, chinchulim (sim, eu adoro) com pomelo (eles odiaram) e algumas comprinhas.Toca, toca até o Parque, a missão era achar um cantinho para as barracas.
A função para louça e banho...


O camping é enorme e dividido por lotes entre as árvores em setores diferentes, próximos às praias La Moza, Achirras, El barco e Praia Grande. São tantas opções que ficamos rodando um bom tempo, e a questão também é o tal do banheiro (trixtii), eu preferia até mato, mas com tanta gente o lance é o banheiro coletivo tipo turco (agachado mesmo, filha) e sujo pra caralho. Mas enfim. Se aguenta.


Lu na praia sentindo o friozinho que vem do sul

Depois do Sargento Pincel dar uma topada no carro da Ju, chororós e acerto de pesos (virou piada e amizade depois, claro) resolvemos distribuir nossas barraquinhas e dar um conferes na praia, tentando curtir um final de dia.
O lugar é maravilhoso mesmo, de um astral incrível, é muito diferente das praias de Florianópolis, claro, a cultura, o frio, o mate, galera de tudo que é canto e uma peculiar vegetação de frio, dunas, pedras e aqueles campos enoormess. No segundo dia, tempo meio nublado, eu e a Lu resolvemos caminhar 5km até a Capatacía para buscar golosinas e para eu conseguir finalmente um telefone para falar com o namorado que ficou. Levamos a tarde toda passeando, visitando a Pajarera (de pájaros , cabras, tucanos e outros animaizinhos), o jardim de inverno lindo, construções maravilhosas em pedra, do tempo em que o Forte finalmente passou dos espanhóis para os uruguaios através de Leonardo de Oliveira, em 1825 em que foi praticamente reconstruído.

.
chegando em Cerro Chato


sentiu o drama do banheiro?


descanso entre a Fortaleza



nossa vila uruguaya


claro que choveu, não é, e muito, quase despencando tudo com o vento



Ishi...segura daqui, arremata dali




depois comemora com Patrícia quase gelada

Nos outros dias, rolou praia, surf e Cabo Polonio.
Um capítulo à parte, Cabo Polonio é um lugar incrível, uma praia em que se chega somente com veículos tracionados com um astral tipo Farol de Santa Marta, e que inclusive tem um farol também lindo de morrer, que divide a beleza com habitantes ilustres, os lobos marinhos. Há uma colônia deles por lá, e você pode chegar bem pertinho, sem respirar, porque o cheiro é bem forte e admirar os bichões. Acabamos ficando o dia por lá, pegando sol, visitando o artesanato local, comendo empanadas e tirando fotos com os lobos. Tava muito bom. Na volta nos encarapitamos de novo no tal veículo tracionado, não antes de usar um banheiro de verdade por 50 cents, claro, e percorremos os 20 minutos pegando um vento na cara de 60km por hora eu acho. Eita, quase fiquei cega.


brasileiríssimas no Uruguay



Lu caminhando pela Fortaleza

No outro dia, deu pra levar a galera em Punta del Diablo, que fica a somente 3km da Fortaleza, tem um centrinho e as vezes rola umas ondas. Mas nesse dia ficamos torrando no sol mesmo. E que sol! Por causa da camada de ozônio estar mais esburacada nesta região sul é impressionante como você sente o sol mais forte. Protetor 50, dále.

El faro de Cabo Polonio


As praias do Forte são uma delícia de curtir também e tivemos até sorte com as ondas. Deu pra pegar uns dois dias de ondas boas, e outro dia sem nada. Quer dizer, ELES pegaram, porque eu, bem, vocês já sabem a história, do ex-amigo que esqueceu a minha prancha. Eu até entrei com a da Ju, que é um funboard 7'3, um pouco maior que a minha, porém mais estreita o que diminui a estabilidade e aumenta teoricamente a velocidade. Sem fôlego pra vencer a arrebentação, cansei fácil e peguei umas duas ondinhas, mas valeu. Lembrar como é deslizar sobre as águas não tem preço. Mas também não dava pra cansar muito, porque era dia 31 e tínhamos que dar um up no nosso acamps porque teríamos visitas para o Ano Novo! Foi muito legal, conhecemos uma galera de Curita que quiseram se juntar a nós, mesa com frutas, parrila, velinhas, e muita champagne!!! Tudo improvisado, roots e show de bola. Como precisamos pouco para sermos felizes não é mesmo?


Cabo Polonio, eu e os lobos



Sombráculo no Parque Santa Teresa


Oba, um telefone!



Surf Trip Cabo Polonio no 4x4 e o vento que furou meu olho



vida boa...


Entonces, que venga!!! A luz de uma lua maravilhosa, no mirador da praia de La Moza brindando o 2010



nossa mesa improvisada de flores e frutas no acamps



depois do brinde no mirante, todo mundo foi pra praia e rolou até uma interação com os uruguaios, ganhamos chapéu e tal


a festinha no barzinho de La Moza foi o que eu precisava pra começa o ano feliz!!!Música eletrônica e pagode em espanhol hahaha


ó os tipinhos...

No outro dia foi aquela coisa de curar a ressaca e arrumar toda a tralha.Ai. E pior é que o sol castigava, a dor de cabeça também. Mas a galera ainda teria que vencer os mais de 1000km até Curita e eu já morrendo de saudades do meu amor, concordei rapidinho em voltar. A parada no Chuy básica, na Lagoa Mirim, e Reserva Ecológica do Taim, maravilhoso mostrar para os amigos onde nasci, a capelinha que eu fui batizada, a casa do meus avós...



Sem imaginar a ressaca do outro dia, bem alegrinhas...


e já voltando pra casa...



com toda a alegria pra recomeçar :)



Valeu, meninas!!!

Aí foi chegar em casa e não se sentir em casa, sentir saudades do quarto/barraca, da Patricia (cerveza uruguaya ah...), do mate, do hablar castellano, das lonas improvisadas do acampamento, do café da manhã bagunçado, do lavar a louça em balde, das praias e praias, do parque e...bem, do banheiro, não.
E sentir aquele vazio dos meus amigos irem embora, morrer de saudade outra vez, ficar sozinha entre pessoas novas, e sentir falta das conversas, do abraço, dos passeios, do surf, da risada, da confiança, e até dos desentendimentos (todo mundo pronto às dez!!!hehehe).
Mas é isso aí mesmo, o ano começa de novo, tudo começa de novo. É retomar com força e vontade para ser feliz, muito feliz, sempre.

2009, que se vaya bien!!!!!!!

Comentários

;(Gil disse…
Lindo, sua festa...
Que durante 2010 seja replicado este momento por td a sua extensão.

Bju!
Parofes disse…
Ahhh vai, no final das contas seu ano novo foi bom chica!!! :P
As fotos estão lindas, fiquei louco pra conhecer o Uruguai...Nunca fui lá mas já sobrevoei rs
bjao e feliz 2010!
Anônimo disse…
aeee legal essa trip, tb to na pilha...cabo polonio..
Vc tem maiores informações de surf la?
se puder me manda no boardco(arroba)hotmail.com

Valews Vibes!!

Postagens mais visitadas