Será?

O final de semana foi tenso. Depois de alguns meses sabendo e não sabendo que vou embora, agora definitivamente eu vou embora. Sabe quando você decide algo mas faz de conta que tudo vai ficar como está e que nada vai mudar pra você (faz de conta que não tomou decisão nenhuma)? Pois é, mas chegou a hora de encarar os fatos e despedir-se da velha fase e dar espaço para o novo, para novas experiências, novos desafios. POr mais que nada seja definitivo nessa vida, é difícil se despedir de um lugar que você morou quase dez anos. Eu sou de Florianópolis, é como me sinto, apesar de ser uma gaúcha de Pelotas. Meus amigos, minha rotina, os supermercados que frequento, os lugares preferidos, e essa ilha que conheço cada cantinho, cada curva, cada uma das 43 praias e mais algumas secretas. Não é hora de sentimentalismos, digamos que não tô podendo ainda (aiiii draaamaaaa). Nem pensar em começar a listar tudo que vou ficar um tempo sem fazer porque aí vou cair em prantos, mas o fato é que a hora de pegar a estrada está chegando e esse final de semana foi com aquele medo no peito, aquela angústia do novo, do que está por vir. Foi o se sentir sozinha, paranóica, abandonada, louca, desvairada. Os amigos não entendem, ninguém entenderia mesmo alguém que praticamente some do mapa, não fala no telefone direito, chora, não fala coisa com coisa, parece distante e calada, além de não comparecer a nenhum compromisso social. Também não retorna as ligações das pessoas. Passei portanto o feriadinho com amigos, mas mais calada que o normal, estranha, irritadiça, até chata,explosiva, tenso.
Mas mudar sempre dói, e é sempre bom. Traz crescimento, evolução. Pra mim vai ser muito bom deixar a adolescência de lado (sim, muitas vezes é assim que eu me sinto) e puxar algumas responsabilidades, desafios, projetos, metas pra perto de mim. Ir atrás de algumas coisas com foco e disciplina, sem pensar se o mar está grande, se virou o vento, se tem companhia pra escalar naquele dia, ou se já está chegando a hora de buscar aquele amigo no aeroporto que veio passar semanas com você de férias (o que geralmente significa eu ficar de férias junto)! Isso tudo é muito bom, é delicioso, a qualidade de vida não se discute, ver o mar todo dia não tem preço, mas depende da fase que você está. Pra tudo tem sua hora, e cada um é de um jeito. Eu pra pegar no tranco só matando. Esquartejando. Disciplina e responsabilidade digamos que passam um pouco longe desse corpitcho na maioria das vezes. Não que eu não trabalhe, pow, chega de me desmerecer rsrsrsr. Desde que cheguei nessa ilha já fiz mestrado, especialização, já passei em concurso, já trabalhei em muro de escalada, já dei aula em creche e até já trabalhei de veterinária rsrsrsr. Mas agora digamos que estou slow motion.Além de motivação zero. Carreira deixada de lado. Estudo deixado de lado. E dinheiro passando beeemmm pelo lado.
Então é isso. Estou indo. Passar um tempo focada no estudo. Foi uma decisão fácil, natural, que agora está sendo difícil sim de levá-la adiante, mas que aos poucos "Things will be be just fine..."

Comentários

Anônimo disse…
oi amiga! fazia tempoq eu eu não passava aqui no teu blog. Pra onde vais, o que vais fazer?? Que mudança é essa??? Me escreve. beijos, anita

Postagens mais visitadas