Blessing

Eu, a madrinha.

O papai

:)

Todo mundo



A bisa e a mãozinha do João

Eu sem jeito

Eu feliz

Eu séria

Final de semana em família. Calma ainda não vim pra terrinha, alguém tem que curtir o sol da ilha até ele terminar, e creio que eu sou a pessoa certa. Mas até que nem está tão frio aqui no sul, e eu também tinha dois compromissos inadiáveis, o Batizado do meu afilhado (sim, sou madrinha!!!agora) e o show do OÁSIS. Sim, minha vida é boa mesmo. E eu, em ritmo de mudança total, apartamento novo já na mão, ainda nem arrumei, mas a mamis deu um jeito em tudo, agora é só entrar e dar a minha carinha. Ontem sonhei que estava surfando, na praia do matadeiro, lembrando daquele dia que estava muita gente na água e os homens discutindo futebol, Avaí e Figueira, essas coisas. Eu achei aquilo hilário tipo sala de visita, a galera conversando na água, coisa que nunca acontece. Já tinha comentado aqui que achava engraçado como o surf é pouco social. Todo mundo sentado, esperando a série sem querer saber muito de conversa. Eu nem quando vou com alguém surfar, geralmente fico ali pensativa, ansiosa. Mas aquele dia atípico, todo mundo resolveu tagarelar, paquerar. E isto ficou na minha memória, no meu coração, aquele cenário: um sol perfeito, ondas, mar, pranchas e gente feliz falando sem parar. Tão bom relembrar tudo que já fiz aff. E estou empolgada para esse meu ano por aqui, já tenho alguns planos e algumas motivações, mas com certeza, todo feriadinho vou bater ponto na ilha, que já vi que sou de lá mesmo, não tem jeito. Voltando ao assunto, achei este site tudo a ver com meu momento "vendo tudo, dou e empresto", a menina foi trocar de casa e fez um site bacanérrimo vendendo tudo a pelo menos um centavo. Como é que não pensei nisso antes? Agora vou parar de escrever porque estou na minha irmã e cartoon network a mil decibéis no meu ouvido, telefone e mais um monte de coisa ,muita informação para eu conseguir me concentrar rssrsrsr. É, vida nova hehehe.
E só pra terminar, pros que ficam....
Eu Embora...
Recorda-te de mim quando eu embora
For para o chão silente e desolado;
Quando não te tiver mais ao meu lado
E sombra vã chorar por quem me chora.
Quando não mais puderes, hora a hora,
Falar-me no futuro que hás sonhado,
Ah de mim te recorda e do passado,
Delícia do presente por agora.
No entanto, se agum dia me olvires
E depois te lembrares novamente,
Não chores: que se em meio aos meus pesares
Um resto houver do afeto que em mim viste,—
Melhor é me esqueceres, mas contente,
Que me lembrares e ficares triste.(Manuel Bandeira)





Comentários

Postagens mais visitadas