Comentários, impressões dos outros e é nóis nos blogisss

Ah que chique! Meu texto (O QUE VOCÊ FARIA PARA CHEGAR AO CUME?) no blog que eu acabei de citar (http://pempem.blog.uol.com.br/ do Luciano Fernandes) link: http://pempem.blog.uol.com.br/arch2008-04-06_2008-04-12.html#2008_04-09_14_48_25-3906991-0 Bá, mas fiquei surpresa com os comentários! Que medO! Teve quem gostou e teve quem chamou de clichê. Poxa, foi tão espontâneo...e eu queria vencer o concurso, mas beleza, como eu disse para a alice, eu devo estar de TPM!Mas adorei a publicação Luciano, valeu. E para seguir a seção comentários e impressões eu copiei um texto massa do blog dele. Leiam aí:
Este post foi sugerido pela Lise de Porto Alegre-RS. Uma pessoa com o verdadeiro espírito de escaladora desde sempre. Obrigado pela inspiraçãoNo final de um dia de escalada, fisicamente se sente esgotado, suas mãos parecem cascos e patas, há cortes pequenos nas mãos e partes do corpo, arranhões, joelhos roxos, há até terra dentro de suas roupas. Sua conta bancária sempre no limite, lembranças, ou até mesmo a presença de lesões nos dedos ou costas. Seus pés latejam por causa da sapatilha apertada, que supostamente lhe daria a sua cadena. No final de tudo isso surge a pergunta, geralmente feita por quem não faz parte de escalada: valeu a pena?Muitas vezes quem tem um estilo de vida que lhe vale uma qualidade de vida nula fica achando estranho que acompanhemos ansiosamente o final de semana para podermos ficar nos esforçando para ultrapassar limites. Para que cada gota de suor gasto nos treinamentos, ou mesmo os sacrifícios alimentares, o foco e determinação em objetivos aparentemente subjetivos: vale a pena?Até mesmo ficar tirando 1h ou 2h para poder atualizar um blog de escalada, e às vezes ter o desprazer de ler mensagens provocativas (como se fizessem diferença na determinação de escrever o blog), de gastar tempo à noite traduzindo artigos, estudando treinamentos, garimpando fotos, tomando bronca de chefes e "chefetes", e até enfrentando olhares desdenhosos de colegas de trabalho. Tudo isso sempre vem vez ou outra acompanhado do questionamento.Para quem gosta de viver, e mesmo que não escale sabe o valor da vida da gente em fazer algo que gostamos de verdade sabe que vale a pena. Não haverá uma só pessoa que não tenha escalado qualquer tipo de via, que não tenha se apaixonado. Que não renove estes votos de dedicação a todos os tipos de experiências vividos. Isso porque quem escala de verdade (de corpo e alma) sabe que vale a pena. Assim como devemos merecer uma cadena treinando, suando e nos superando.A cada dia tenho a certeza de que viver é muito mais do que se esconder atrás de desculpas, e de uma vida vazia. Viver para mim não é somente escalar, é poder sair de casa em um dia de sol ou chuva, e saber que está vivendo. É ter a capacidade de se divertir com você mesmo, seja surfando, escalando, correndo, esquiando etc. É saber que está fazendo exercício para que você viva mais e aproveite mais a vida.Pois como meu avô sempre diz, quem quase morre ainda vive, mas quem quase vive já morreu há muito tempo.

Comentários

Postagens mais visitadas